Estima-se que a Candida albicans seja responsável por mais de 90% dos casos de candidíase de repetição. 

As cândidas são leveduras e fazem parte de nossa microbiota normal, portanto é comum que tenhamos esta levedura em nossa pele.

As mulheres têm uma desvantagem psico-fisiológico-anatômica que permite a estas leveduras se proliferarem com facilidade na cavidade vaginal. O local tem pouca ou nenhuma exposição a luz, a temperatura constante 36 graus, é úmido e tem pH ácido.

 As mulheres são mais tolerantes a dor o que as leva a demorar a procurar assistência médica. A consequência de se ter uma infecção e não a tratar é que a infeção se torna crônica e posteriormente desenvolve-se uma ALERGIA, ou seja, mesmo que a infecção tenha sido controlada, a presença normal da levedura desencadeia uma reação alérgica local. Tornando-se necessário nesse momento uma intervenção através da IMUNOTERAPIA.


Tratamento:

Os tratamentos clássicos incluem a utilização de antifúngicos locais ou sistêmicos e o uso de óvulos com pH básico. 

A questão é: porque os medicamentos tradicionais não funcionam após um determinado período? Há vários motivos, o mais comum é a hiper-reatividade do sistema imunológico a presença das cândidas ou aos seus metabólitos secundários, por causa disso desenvolve-se um ciclo inflamatório crônico.

O paciente pode estahiper reativo (a presença do fungo é mínima) ou hipo reativo (há uma presença expressiva do fungo). 

Saber qual é o caso pode ser complicado, então, adotamos o sistema de dessensibilização, que vai funcionar para ambas as situações, obtendo-se namaioria das vezes uma eficácia de 98%.


0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.